Category Archives: Erotika

Sem alarde…

Me ligou, a voz firme, bonita, objetivo, impositivo: me quer em meia hora, quarenta minutos. Sem atrasos.

Corro. Não muito… acabara de sair do banho. Hidratante, perfume, meias.. Um jeito qualquer no cabelo.. Vestido escolhido quase ao acaso, saltos.. Vou…

Ele me espera, postura elegante, enrolado na toalha branca de motel. Corpo em dia, beijo quente, pau em riste, mãos ousadas a me despir. Mas não, vou descendo, afasto-lhe as mãos. De joelhos, afasto a toalha que me atrapalha. Lambo, chupo, mordisco, engulo.. Testo, quero ver o quão fundo alcança em minha garganta. Vamos bem – o tamanho me serve, a rigidez agrada, o gosto adoça.

Caímos na cama, enquanto caem as minhas roupas, sem alarde. A língua, hábil, me penetra.. em seguida, me suga, na intensidade certa. E as mãos.. O saco sem pelos, minha língua se atreve, desço.. Volto. Me aperta a bunda, me aperto toda. Aperto as pernas duras, as coxas firmes, os pelos me arrepiando toda..

Nos vamos, num gozo discreto e tranquilo. Simultâneo. Começamos bem a manhã.

Mini-saia sem calcinha

Plaisir solitaire …

Bon, d’accord, ce n’est pas une histoire purement ”fessée”, mais elle est authentique. Alors à titre d’exemple, je la partage avec vous pour rappeler que ce genre de truc peut nous arriver à tous, dans ces petits moments intimes privilégiés où on se croit tout seul…

Celle-ci est arrivée à Kate il y a quelques jours. Autant la laisser nous raconter tout ça:

“Comment dire ? Y’a des matins comme ça…

Seule puisque mon homme est parti au travail, je décide – va savoir pourquoi… – d’aller me balader sur des blogs “pour adultes”.

J’avoue: sans avoir spécialement d’envies libertines, j’espére bien trouver quelques histoires/images pour me donner du plaisir. Alors me voilà donc face à l’écran et à la fenêtre (sans vis à vis) en train de surfer. Je ne trouve d’abord rien qui m’attire l’œil, sauf, peut être une histoire ou deux…

Tiens, il y est question d’yeux baissés, de domination “soft”… Parfois même de quelques claques ! Étrange… Je cherche, je cherche.

Peu à peu, mon pantalon tombe sur mes chevilles. Caresses de plus en plus précises dans des recoins de plus en plus humides. Bref, tout va bien. Sans avoir trouvé l’histoire qui accompagnerait mes trente prochaines nuits, je suis lancée sur une pente ascendante vers l’orgasme.

“Ding dong !”

J’émerge d’un doux rêve sur un bruit de sonnette anodin mais à ce moment-là, cauchemardesque. C’est trop injuste ! Je me rajuste évidemment. On n’est pas dans un film.

Deux hommes, vieux, moches et en bleu de travail avec des casques (le détail qui tue):

- ”C’est pour l’inspection des caves et carrières. Z’avez dû recevoir un courrier !”

- ”Euh ? Si vous le dites…”

Qu’ils fassent vite ! Que je retourne sur le net…”

Por: @MissKate , em ‘Au Fil des Jours’

10 coisas que eu adoro na cama

1. ADORO quando, no motel,  o casal do apartamento ao lado se empolga rs… como sou quietinha, gemidinhos baixinhos, etc, curto muito ouvir e imaginar o que tá rolando por lá ; olhar? Quem sabe um dia…

2. ADORO quando meus amigos, já na chegada, me fazem gozar num oral bemmm feitinho, sem enfiar dedinhos ou babar demais. Isso me deixa caidinha e disponível a realizar (quase todos) os desejos deles…

3. E também ADORO torturá-los no oral.. começar devagar, depois mais e mais intenso, parar quando pensam que vão gozar; posso ficar hoooooras nesta tortura .. até que me implorem por penetração..

4. ADORO quando chego ao encontro e eles me dizem que pessoalmente sou muito melhor do que nas fotos; dá vontade de mostrar que sou melhor, sim, e em tudo…

5. ADORO que acariciem meus seios… nem forte, nem fraco demais… deliro quando acham o pontinho certo … sensibilidade extrema.

6. ADORO quando mordiscam meu bumbum… embaixo, na dobrinha onde termina a perna e começa o bumbum (ou vice-versa)… coisa boba, masADORO, assim como amo quando exploram meu corpo todo com a língua…

7. ADORO ver o “leite” derramando… isso mostra q a coisa está fervendo, mesmo; gozar, literalmente, nas minhas mãos, seios, etc; pena q depois disso meu parceiro demora um pouco pra se recuperar, pois essa imagem/idéia me excita muuuito.

8. ADORO me lambuzar com meus cremes, óleos, lubrificantes, besteiras… ADORO fazer coisinhas quase inusitadas tb, chocolate, leite condensado… oral com halls… ahh… adoro encher a boca de água gelada e… bom.. adoro brincar com gelo tb, mas em q motel encontro forminhas de gelo no frigobar? Se souberem, me contem.

9. Um tapinha não dói rs? Não ! Tapinhas no bumbum,ADORO; mas tem a questão da intensidade, sempre. Tudo é questão de saber dosar.

10. ADORO anal… mas bem feito. Não é simplesmente uma questão de tamanho, realmente. Já me machuquei com pequeninhos estúpidos, já gozei com grandalhões de quem tive medo no começo. É uma área sensível, não foi feita para o sexo, definitivamente. JAMAIS GARANTO QUE FAREI SEXO ANAL. Pra rolar, depende de tanta coisa … da química … do meu humor… da habilidade do meu parceiro… depende até do que comi no dia anterior rsrs… é sério. Não é coisa que se possa fazer todos os dias, meeesmo. Mas curto. Curto a falsa sensação de ser dominada, de submissão, que o ato traz implícito… e o orgasmo - o orgasmo anal, quando acontece, é bem mais intenso que o vaginal, fica a dica para as meninas que ainda não cederam a esse tipo de prazer.

Querem que eu conte mais? Só pessoalmente; agora, me contem vocês, por comentários no blog ou mail, do que gostam… Estou esperando, ansiosa !

Paixão por botas de cano alto

“Monique, sou seu admirador. Perdõem-me as outras mulheres, mas você é perfeita, insuperável em beleza e sensualidade.Sei que você ainda é um sonho para mim, te beijo, te abraço, te acaricio todas as noites. Tu me enlouquece com desfila de botas, meu fetiche são as botas, desde criança sou apaixonado por botas, principalmente aquelas que ultrapassam os joelhos.”

Obscenidades

” Um arrepio espinha abaixo, um susto, um espanto. Sou completamente paralisado pelo que vejo, apenas meu pau duro lateja e minha imaginação dispara tomada pela volúpia e a luxuria das imagens.
Que mulher é essa que se apresenta como a Grande Puta, a seguidora da perversa Messalina, leitora de Anais Nin? Quem tem uma imaginação erótica tão refinada a ponto de transformar um colar de pérolas no mais obsceno objeto. Meus olhos acompanham o adorno sobre pele morena, resvalando devagar, talvez provocando uma doce carícia. Ele desce atrevido e se aninha sobre a buceta suculenta e certamente gulosa.
A mão de unhas esmaltadas num vermelho diabólico toca a fruta madura. Talvez ela já tenha introduzido aquele colar em seus orifícios, para que depois um feliz vassalo vá puxando-o lentamente enquanto geme e se contorce de prazer.
A mais escancarada Putaria, temperada pela elegância, pelo apelo erótico e o requinte de uma Cortesã à antiga, daquelas que os aristocratas esperavam de quatro para que lhes montasse em cima. Não vou falar do teu corpo, que merece ser adorado de joelhos. Você sabe muito bem o quanto é gostosa e o poder que exerce sobre os homens. Pois eu sou mais uma feliz vítima deste fascínio. Fazem duas noites que sento à frente do computador e te homenageio com longas punhetas, analisando cada detalhe do teu universo fetichista: meias, sapatos, anéis, pulseiras (faltou o brinco de argolas), botas e calcinhas, minha peça favorita. Você não imagina como fico excitado diante de uma bunda apoteótica como a tua, irresistivelmente decorada por uma calcinha toda delicada, com suas rendas, transparências, bordados e babados.” (C.)

A Fogueira do Sexo

Quadrinhos eróticos, por Adriano Moresco

Brincando de Sub ..

Texto: Monique Prada

“A” é um de meus ‘patrocinadores’ mais antigos.
Saímos juntos já há alguns anos, com alguma frequência, e sempre que acontece a química é intensa.
Nos conhecemos quase que ‘acidentalmente’, dos tempos em que eu apenas intermediava estes deliciosos encontros  -  um dia, amanheci mais taradinha que nunca, ele me convidou e eu cedi.
Desde aí, entre um relacionamento e outro, entre um personagem e outro, voltamos a nos encontrar, e confesso que, com raras exceções, cada encontro parece sempre melhor que o anterior. Um dia, vou dedicar algum tempo a falar de nossas pequenas loucuras.

No entanto, como sabemos bem, a rotina é veneno em qualquer tipo de relação. De tempos em tempos experimentamos coisas novas, algumas amigas e fantasias interessantes ..

Dessa vez, “A” me pede algo diferente. Mais forte, talvez… ou apenas diferente mesmo. “A” quer encarnar um pouquinho o “Dominador” … quer me ver submissa, tem dúvidas sobre o que sentiria me vendo tão disponível e entregue… curiosidade … junto com a mestra, Domme, combinamos o encontro..

O que posso dizer? A brincadeira me excita e atrai, a confiança em ambos me ajuda a relaxar e lá vamos nós. Para uma primeira vez, até que fomos bem.. o quentinho gostoso da cera quente escorrendo pelas coxas, a venda (e sem saber qual dos estava me tocando, me lambendo.. delícia …), algemas, e surpresas.. Ambos bastante cuidadosos, com receio de me machucar de verdade..

E a frustração pelo vibrador e a câmera fotográfica sem pilhas rsrs.. que amadorismo !!!

..about last night..

Texto: Monique Prada

.. pouquinho depois das 21h .. me liga Domme (para o telefone “secreto” – o ‘comercial’já desligado, àquela hora..) – bom… “Preciso que me encontres em meia hora no Botafogo,
podes? “  Pedidos de Domme, quase uma ordem.. me arrumo, com alguma pressa, já me preparando para alguma deliciosa sessão bdsm (e lá vai a ajudante da Capri, a switcher mais baunilha do mundo rs – Monique).
Chego um pouco antes do casal, estaciono em frente ao motel e espero o sinal para entrar.. os sigo, estaciono na vaga dupla do apartamento.. estranho, não vejo a maletinha de maldades de Domme.. ela me apresenta o amigo. Um fã da ‘cultuada Monique’ – palavras dele. Um dia depois do aniversário, o menino resolve comemorar mas não me avisa com a devida antecedência, acaba por não conseguir contato – e não se aperta: como esperto seguidor de alguns dos melhores blogs eróticos da cidade, rapidamente se dá conta que, à época, o caminho mais curto para me achar é Domme..
Findas as apresentações, cdzinho que levei a tocar, partimos para uma deliciosa sessão de.. puro sexo, o mais puro e intenso sexo baunilha. Nada de velas, algemas, cordas, vendas … o imobilizamos, mas com o atrevimento de nossas carícias.. nenhum castigo foi imposto a ele, a não ser o de nos satisfazer, tão plenamente quanto possível, dentro daquele período.
O largamos revigorado, depois ainda de uma relaxante massagem. Ele é fã, acompanha o blog, ele merece…

Merece também o videozinho que prometi postar.. nada como boa música, para eternizar na memória nossos bons momentos …

Moniqueterapia ..

N.. diz:
*sabe.. quando estou muito cansado… assim nessa corrida… eu me remeto mentalmente para aquela tarde…
naquele quarto… fazendo carinhos em vc… deitada de bruços… ou de frente…. mas apenas tocando você… sentindo teu calor… beijos… carícias… tua companhia ..
Eu..:
*entendo.. é um dos efeitos desejáveis .. da “moniqueterapia” rsrs .. põe a música aí .. e lembra, já que estamos looooonge ..

I want you now ..


Entre foder e fazer amor

Por: Monique Prada

Somos todos necessariamente substituíveis.
Sério… Os corpos são todos parecidos.. bundas maiores, menores, diferindo na cor, formato, rigidez de formas, cavidades mais ou menos apertadinhas, etc.. mas no fim das contas, dá tudo no mesmo. O instinto nos leva a procurar, nos leva ao tesão, nos leva a meter. Bendito instinto, que garante a preservação da espécie humana rs. Independente de eventualmente nos ferirmos nessa nossa busca insana por mais e mais prazer, o lance é que meter (e ser metida rs) é muito bom. Tem dias que qualquer fodinha nos serve, e foda-se o resto !
Sexo pode também ser a mesma e entediante brincadeira para alguns. O certo é que o repetir entedia. Procura-se variar, e mesmo quando se tem do melhor e mais caro por perto , a tentação de um buraquinho novo, nesse momento até o delicioso e disponível rabão da funkeira mais vulgar pode parecer mais digno de se explorar do que o da cortesã perfumada e sofisticada – quando se a tem plenamente disponível.

Vulgarmente falando, arriscamos quaquer coisa por uma metida nova. Todos nós. Somos todos substituíveis e substituímos, a todo o tempo. O prazer do bifão com ovo nos parece impossível de resistir quando temos à mão, dia após dia, apenas um único prato sofisticado. Sim, sofisticado, delicioso, aprovado e recomendado por muitos, mas sempre o mesmo.
E eu entendo plenamente essa necessidade.
Eu mesma há tempos ando enjoadinha. Hoje, decidi liberar a vagabunda.

Confesso: fodi até que tudo em mim ardesse rs.
Hoje, fiz amor comigo mesma. Fiz amor, muito amor, fodi intensamente com a única pessoa a quem só meu rabo satisfaz: amei a mim mesma, amei ao dia, amei à vida, como nunca.
O dia começou mal, perdi a hora, perdi a cabeça… Felizmente, ele ainda me esperava, depois de meses de conversa e horas de atraso.
Me pegou no meu pior dia, pior astral. Ao mesmo tempo, no dia em que eu mais precisava tê-lo por perto. Implorei que me esperasse, eu precisava de colo.
Corri pro banho, peguei qualquer vestido..levei algumas coisas .. um espumante perdido na geladeira.. óleos, espuma de banho, esfoliantes..
e me fui, aos tropeços rs.
Decidi que ele seria o único do dia, decidi me entregar como há tempos não fazia. Eu queria ver a dama devassa que sou gozando até que lhe doessem as entranhas. E mais, e mais.. e suor, e sêmen, e entrega, e delícias.
E espelhos, e meu corpo, nada perfeito mas tão meu, tão disponível, tão absolutamente sensual, beirando a vulgaridade.. Sequer lembramos do espumante, em meio a tantos líquidos mais interessantes.
Exibicionista que sou, perto do primeiro gozo, telefonei… precisava que alguém mais testemunhasse o prazer intenso que se aproximava.. infelizmente, este meu amigo desligou, saber do meu prazer talvez o desagrade.. enfim…
Então… hoje eu fiz amor, sim. Fiz amor com a única pessoa pra quem eu sou realmente insubstituível: fiz amor comigo mesma. Estou deliciosamente renovada, insuportavelmente feliz.
Recomendo, e repetirei .

 

 

Contact Us